Portal da Cidade Paranavaí

Saúde

Médico esclarece 10 dúvidas comuns sobre prótese de silicone nas mamas

O cirurgião plástico João Felippe respondeu a perguntas enviadas pelas leitoras do Portal da Cidade Paranavaí por meio das redes sociais

Postado em 23/02/2018 às 09:35 |

(Foto: Portal da Cidade Paranavaí )

O Brasil segue na segunda posição do ranking mundial quando o assunto é cirurgia plástica, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. E de acordo com dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, o implante de prótese de silicone nas mamas é o segundo procedimento mais realizado pelos brasileiros, perdendo apenas para a lipoaspiração.

Mesmo sendo tão procurado, esse tipo de cirurgia ainda é tema de diversos questionamentos e gera muitas dúvidas entre as mulheres. Para sanar essas dúvidas, o Portal da Cidade Paranavaí conversou com o médico cirurgião plástico João Felippe, que respondeu a perguntas enviadas por nossas leitoras.

Antes de mais nada é importante destacar que cada paciente é único e, sendo assim, deve ser tratado de forma individualizada. Portanto, as respostas a seguir visam esclarecer dúvidas gerais apresentadas por leitoras e de forma alguma substituem uma consulta e/ou avaliação médica.


Confira a seguir a entrevista com o Dr. João Felippe: 

Portal: Existe uma idade mínima para se fazer o implante de silicone nas mamas?

J.F: "Não há nenhuma indicação formal quanto a idade. Hoje, a orientação é que a cirurgia seja feita após os 16 anos de idade e, pelo menos, 2 anos após a primeira menstruação, que é quando a mama já está com sua formação concluída".

Portal: Como é a recuperação (pós-operatório) e em quanto tempo a paciente poderá voltar a trabalhar, fazer atividades físicas e se dedicar a outras atividades cotidianas?

J.F: "O retorno às atividades é feito de maneira gradual conforme o nível de esforço. Por exemplo, atividades do cotidiano como lavar o cabelo sozinha, utilizar os braços para se levantar e outras movimentações leves, orienta-se aguardar de 1 a 2 semanas. Atividades que exigem mais esforço como dirigir, realizar caminhadas leves e participar de eventos sociais, só devem ser feitas após 2 a 3 semanas. Já exercícios intensos como academia, corridas e pegar pesos, só poderão ser realizados com mais de 3 a 4 semanas".

Portal: Quais os cuidados que devem ser tomados no pós-operatório?

J.F: "Além de seguir corretamente o tempo de repouso e as medicações prescritas (antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos), a paciente deve estar ciente que não poderá se expor ao sol e a esforço intenso. Além disso, é de extrema importância realizar a hidratação da pele para que se evite a formação de estrias e fazer o uso de sutiã apropriado (indicado pela equipe médica)".

Portal: Depois de alguns anos de uso será necessária a troca da prótese? Se sim, quanto tempo?

J.F: "Caso não haja nenhuma queixa referente a dor ou estética da mama, normalmente  causada pelo encapsulamento (quando o organismo cria uma cápsula em volta da prótese), não há necessidade de trocá-la. Muitas pacientes possuem próteses colocadas na década de 90 e continuam com as mesmas sem qualquer problema. Em contrapartida, caso haja intercorrências (como o encapsulamento), torna-se necessário a sua troca".

Portal: Quem tem silicone pode amamentar?

J.F: "O fato de ter prótese de silicone não impede a amamentação. Diversos estudos já comprovaram que o silicone não interfere na qualidade do leite. É importante salientar que silicones de uso industrial (proibidos na medicina, porém algumas vezes utilizados de forma clandestina), podem alterar o leite".

Portal: A paciente com implante pode fazer mamografia normalmente? Ele atrapalha a detecção do câncer de mama?

J.F: A indicação de mamografia para paciente com prótese segue os mesmos preceitos para quem não tem prótese. Além disso, há comprovação que caso haja algum tipo de lesão mamária, o silicone não irá interferir em sua identificação.

Portal: É uma cirurgia arriscada? Quais são as complicações mais comuns deste procedimento? Existe o risco de rejeição?

J.F: "Todo procedimento cirúrgico, por mais seguro que seja, envolve riscos. Na colocação de prótese de mama não é diferente. Porém, a paciente irá realizar exames pré-operatórios (sangue, imagem, cardiológicos) e irá passar pela consulta com um médico anestesista, o que permite reduzir consideravelmente os riscos. Ainda assim, caso seja detectada alguma alteração a cirurgia será cancelada.

As complicações são divididas em dois grupos. Aquelas que podem ocorrer logo após o procedimento, que são hematomas (sangramentos), seromas (foramação de flúido liquido ao redor da prótese), alterações da sensibilidade do mamilo e infecções, e no segundo grupo estão complicações tardias, que evolvem:  contratura capsular (o organismo forma uma cápsula em torno da prótese e altera seu formato o que pode gerar dor e alteração estética), ruptura, deslocamento ou rotação do implante.

O organismo humano não rejeita a prótese de silicone. O que pode ocorrer é abertura dos pontos da incisão e extrusão da mesma".

Portal: Como saber qual o tamanho adequado de prótese para cada paciente?

J.F: "O tamanho e formato da mama são altamente subjetivos. O cirurgião irá realizar as medidas da mama e da paciente e confrontar com seus desejos. Nesta hora a individualização de cada caso é de extrema importância, pois pacientes com mesmas medidas podem ter desejos diferentes, e daí a necessidade de próteses distintas. É importante salientar que não é avaliado apenas o tamanho da prótese, mas também o seu formato e projeção".

Portal: Qual a melhor opção: colocar a prótese de silicone por baixo ou por cima do músculo? E o que é levado em consideração para essa decisão?

J.F: "Não existe uma técnica que seja melhor que a outra. Ambas apresentam suas indicações e isso o cirurgião irá definir juntamente com a paciente. Avaliações como tamanho da mama e do tórax, bem como a espessura da pele, influenciam diretamente na escolha. É importante salientar que pacientes que fazem exercícios físicos intensos (como halterofilistas) não são bons candidatos a colocar a prótese embaixo do musculo pelo risco de comprimir a prótese e a mesma migrar para parte superior do tórax".

Portal: Para uma paciente que tenha problema de flacidez e excesso de pele é possível fazer a redução das mamas juntamente com o implante de uma prótese mamária?

J.F: "Pode sim. Muitas pacientes compartilham dessa queixa, principalmente aquelas que já estão numa idade mais avançada ou que foram submetidas a cirurgia de redução de estômago, perda de peso ou após a amamentação. A indicação de retirada de pele e montagem da mama se chama mastopexia com prótese de silicone e é um procedimento muito comum na nossa pratica diária".

Serviço

O cirurgião plástico João Felippe atende, em Paranavaí, na Clínica Santa Rosa, localizada na Rua Rio Grande do Sul, 2485, centro. Mais informações pelo telefone (44) 3423-9700. 

Fonte:

Deixe seu comentário