Portal da Cidade Paranavaí

Dengue

LIRA aponta médio risco de infestação, mas município segue em epidemia

Resultado apontou um índice de 1,6, o que revela uma queda no ritmo de proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti, mas cuidados devem continuar

Postado em 12/07/2019 às 17:10 |

(Foto: Prefeitura de Paranavaí)

Os agentes de endemias de Paranavaí trabalharam esta semana com visitas domiciliares em todos os bairros da cidade para fazer o segundo Levantamento de Índice Rápido do Aedes (LIRA). O resultado apontou um índice de 1,6 (médio risco), o que revela uma queda no ritmo de proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti, mas o município ainda segue em epidemia.

Para a realização do novo LIRA, a Vigilância em Saúde dividiu a cidade em cinco setores de fiscalização. No total, foram inspecionados 2.210 imóveis entre os dias 8 e 12 de julho (de segunda a sexta-feira).

 A região com maior infestação de larvas é a que abrange os jardins Santos Dumont, Ipê e Vila Operária. Nestes locais o índice é de 2,3. “Principalmente nesta região, temos um alerta muito grande. Os últimos índices apontam que essa é uma região com problemas de dengue, portanto, continua em risco”, aponta o assessor da Vigilância em Saúde, Randal Fadel Filho.

A região que abrange os jardins Ouro Verde, Ouro Branco e Sílvio Vidal apresentou índice de 2; na região do Centro e Jardim Guanabara, 1,6; Sumaré, Morumbi, Jardim das Nações, Vila Paris, América e Parque Industrial, 0,7; e o menor índice, de 0,5, nos jardins São Jorge, Santa Maria, Matarazzo, Vista Alegre, Simone e Três Conjuntos.

“Nós estamos alertando a população há meses sobre os riscos. Estamos em epidemia e, apesar dos números caírem um pouco, isso já era esperado por conta do clima. A nossa preocupação maior fica quando o frio passar, as altas temperaturas e chuvas voltarem. Precisamos que a população não descarte pneus e lixo em locais inadequados, que cuidem melhor dos quintais e separem os materiais recicláveis que podem acumular água. Se não houver um comprometimento maior, estaremos em risco”, frisa Randal.

Até hoje, a Vigilância em Saúde já tem os seguintes números da dengue: 2.356 casos notificados, 803 positivados, 1.198 descartados e 344 aguardando resultados.


Fonte:

Deixe seu comentário