Portal da Cidade Paranavaí

Desenvolvimento

Você se considera uma pessoa esquecida? Aprenda a manter sua memória saudável

A diretora do Supera, Giuliana Asse, explica que é cada dia mais comum as pessoas passarem por situações de esquecimento, especialmente, após os 50 anos.

Postado em 04/05/2020 às 09:56 |

O Supera fica na rua Doutor Farias Bandeira, 20, Jardim Santa Eugênia, em Paranavaí.

Você já se viu em alguma situação em que teve um “branco”? Como sair de casa e não lembrar aonde colocou as chaves? Ou esquecer de um compromisso importante, uma data de aniversário, ou não lembrar a senha do cartão de crédito/débito? Quem nunca teve esses lapsos de memória?

Essas situações são cada vez mais recorrentes na rotina de pessoas de todas as idades e, mais ainda, em quem tem mais de 50 anos. Isso ocorre, em parte, porque realizamos muitas tarefas sem atenção e a concentração é a primeira etapa do desempenho de memória, por isso é tão importante desenvolvê-la. A ansiedade e a distração também fazem com que grande parte dos esquecimentos ocorram!

A maneira como organizamos e adaptamos o ambiente aonde estamos pode ser fundamental para a manutenção da memória. Alguns gatilhos podem ser utilizados para que possamos exercitar a mente e lembrarmos de detalhes fundamentais no dia a dia.

Confira cinco dicas essenciais para manter sua memória saudável:

  • Qualidade de sono: há tempos, o sono é definido por cientistas como o estado em que nosso corpo otimiza e consolida novas informações adquiridas e as armazenam como memória;
  • Alimentação: está provado por especialistas da saúde que uma dieta rica em ômega-3, vitamina B e antioxidantes é importante para a saúde do cérebro e para ter uma boa memória;
  • Relaxamento: desestressar e meditar são formas reconhecidas de preservar as lembranças. Segundo estudos amplamente divulgados, a prática diária da meditação ativa as partes do córtex cerebral responsáveis pela tomada de decisão, atenção e memória;
  • Exercícios físicos: estudos científicos mostram que o exercício físico melhora e protege a função cerebral, sugerindo que pessoas fisicamente ativas apresentem menor risco de serem acometidas por doenças neurodegenerativas;
  • Estímulo cognitivo: quando você pratica alguma atividade intelectual, o que também podemos chamar de ginástica cerebral, cria novas conexões (sinapses) entre os neurônios no cérebro. Quanto maior a densidade de sinapses, maior nossa reserva cognitiva, a resistência da mente às lesões no cérebro.


Conheça a colunista

A diretora, Giuliana Asse, é franqueada do Supera, maior rede de escola de ginástica para o cérebro da América Latina. A metodologia é baseada no estudo da neurociência, da educação e da aprendizagem.

Acompanhe a escola pelo Instagram ou Facebook

Serviço

O Supera fica na rua Doutor Farias Bandeira, 20, Jardim Santa Eugênia, em Paranavaí.

Telefone: (44) 3422-0491

WhatsApp: (44) 98412-3900. Clique aqui e agende uma aula experimental grátis!


Conteúdo de responsabilidade da colunista.

Fonte:

Deixe seu comentário