Portal da Cidade Paranavaí

Publicidade

Quando o barato sai caro: a armadilha de comprar seguidores

Os publicitários, Daniel D’Amore e Ricardo Caldeira, descrevem quais são as consequências e riscos deste tipo de prática, especialmente no Instagram.

Postado em 03/08/2019 às 09:40 |

Opinião

A maioria das pessoas que navega na internet e utiliza as redes sociais quer ter mais seguidores, especialmente no Instagram.

Vários internautas, em busca de números, optam pela prática de comprar seguidores e pensam que essa é uma ideia perfeita, barata e rápida. No entanto, o barato pode sair caro.

Geralmente esse tipo de ação promete resultados imediatos, além de centenas e milhares de seguidores com um simples pagamento. Mas existem diversas comprovações de que isso não passa de uma grande armadilha.

O primeiro e principal motivo é simples: os seguidores comprados não interagem. Eles não comentam, não curtem fotos, não compartilham postagens, não clicam em links patrocinados e, consequentemente, não compram os produtos. São perfis falsos, muitas vezes apenas robôs que servem para seguir uma grande quantidade de usuários pagantes. Nada mais.

Seguidores comprados são inúteis porque eles não sabem da sua existência. Quem faz o processo de seguir seu perfil é um robô que não consegue sequer filtrar dados como interesses, cidade, bairro, idade, entre outros.

Outra razão para não comprar seguidores no Instagram diz respeito à segurança. Boa parte desses perfis usados para ‘inflar’ números são bots (robôs) que, quando são ligados a uma conta, podem adquirir a lista de contatos e seguidores legítimos de determinado perfil, abrindo espaço para o envio de spam e vírus, o que pode levar, inclusive, ao roubo de dados.

Como se não bastasse todos os pontos negativos, quem compra seguidores em uma das redes sociais mais utilizadas dos últimos tempos assume riscos ao infringir os Termos de Uso. Como ‘castigo’, o Instagram pode excluir o perfil do usuário da rede social.

Essa prática ainda gera muitas outras desvantagens, entre elas: diminuição da credibilidade; dificuldade em atingir os objetivos na rede; falta de engajamento; falta de acesso a verdadeiros dados estatísticos, além da facilidade em ser descoberto, pois uma hora ou outra as pessoas desconfiam do fato de um perfil local ter milhões de seguidores da China, Japão, Malásia, etc.

Portanto, é necessário um conjunto de trabalho nas mídias para atingir os reais seguidores. Precisamos ter em mente que o objetivo da sua marca estar presente nas redes sociais deve sempre ir de encontro com resultados reais, baseados em conversão e engajamento.

Com isso, você conseguirá descobrir o real interesse do público-alvo, por meio de uma estratégia de qualidade e que consiga atrair pessoas de verdade e não robôs.


Sobre os especialistas

Daniel D’Amore e Ricardo Caldeira são sócios-proprietários da Agência Good Estúdio Criativo. Daniel é mestre em administração de negócios (MBA) em gestão empresarial. Ricardo é formado em publicidade e propaganda e especialista em marketing digital.

Sobre a Good Estúdio Criativo

A agência realiza atendimento em gestão de redes sociais, criação de conteúdo e arte, gerência de mídia online e relatórios gerenciais.

Acompanhe pelas redes sociais: Facebook e Instagram.

Telefone: (44) 98452-9622.


Este conteúdo é de responsabilidade dos colunistas. As opiniões expressas nele não representam, necessariamente, as posições do Portal da Cidade Paranavaí.

Fonte:

Deixe seu comentário