Portal da Cidade Paranavaí

Opinião

Meningite bacteriana: Conheça a doença que pode deixar sequelas e levar à morte

A infectologista Dra. Eliane Floté explica quais são as causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e forma de prevenção dessa patologia.

Postado em 15/04/2019 às 08:10 |

(Conteúdo Patrocinado)

A meningite é uma doença que causa inflamação das membranas que envolvem o cérebro e medula espinhal. No caso da meningite bacteriana essa inflamação é causada por uma bactéria. As bactérias mais comuns são Neisseria meningitidis (Meningococo), Haemophilus influenzae e Streptococcus pneumoniae (Pneumococo). Entre os subtipos do Meningococo, o A, B, C, W e Y são os principais responsáveis por causar doença invasiva e, consequentemente, por causar epidemias. A meningite bacteriana é uma doença grave que pode deixar sequelas graves como cegueira e surdez ou até levar à morte.

Sintomas

Os principais sinais e sintomas nos adultos e crianças maiores são febre, vômitos, dor de cabeça, rigidez da nuca e alterações sensoriais como sonolência, agitação e confusão mental. Já nas crianças pequenas devemos ficar atentos também a irritabilidade, choro ou gemidos agudos e persistentes, recusa alimentar, fontanelas abauladas e convulsões. Algumas meningites bacterianas apresentam lesões exantemáticas petequiais durante as fases iniciais da doença. Estas lesões de pele são extremamente frequentes e características da meningite meningocócica (meningite causada pela bactéria Neisseria meningitidis/meningococo).

Transmissão

A transmissão acontece de pessoa a pessoa, através de secreções respiratórias de pessoas infectadas sintomática ou assintomáticas, ou seja, pessoas que estão com a doença mas que ainda não estão apresentando os sintomas também transmitem.

Diagnóstico

O diagnóstico da meningite é feito através das queixas e do exame físico do paciente realizado por um médico que na suspeita de meningite irá proceder com a coleta do líquido cefalorraquidiano (líquor) para confirmação da doença. Outros exames como o hemograma e a hemocultura, também auxiliam no diagnóstico.

Tratamento

O tratamento é realizado com antibiótico em regime de internação hospitalar. A duração do tratamento varia normalmente de 7 a 14 dias dependendo da evolução clínica do paciente e da identificação da bactéria causadora.

Prevenção

A prevenção da meningite deve ser realizada através da vacinação e de medidas cotidianas básicas como lavar as mãos ou higienizar com álcool 70% com frequência, não ficar em ambientes fechados e com aglomerações de pessoas, cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar. A quimioprofilaxia em comunicantes de pacientes com diagnóstico de meningite meningocócica ou por Haemophilus influenzae também é uma medida importante de contenção da transmissão da doença e é realizada pela vigilância epidemiológica.

Pelo calendário vacinal do SUS as crianças recebem a vacina pneumocócica 10-valente, meningocócica C e Haemophilus influenzae tipo B prevenindo contra grande parte das bactérias causadoras da meningite bacteriana. Nas clínicas particulares a cobertura ainda pode ser ampliada através da vacinação Meningocócica B e da Meningocócica ACWY. Quanto maior a cobertura vacinal menor a chance de adquirir a doença. Vacine-se!

Temos que lembrar que essas vacinas previnem apenas contra esses tipos específicos de meningite BACTERIANA mais comuns e que existem outros tipos de meningite causadas por vírus, fungos e por tuberculose.

Sobre a especialista

Dra Eliane Floté é Formada em Medicina pela Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) e especialista na área de infectologia. CRM/PR 29130, RQE 18990.

Serviço

Agende uma consulta com a Dra Eliane pelo telefone:Telefone: (44) 3422-2959 /  (44) 98411-3215.

Ela atende na Policlínica. Endereço:Rua Pernambuco, 1227 – Paranavaí/PR

A Acompanhe também pelas redes sociais, Facebook Instagram.


Este texto é de total responsabilidade do colunista. As opiniões expressas nele não representam necessariamente as posições do Portal da Cidade Paranavaí. 

Fonte:

Deixe seu comentário