Portal da Cidade Paranavaí

Papo de especialista

Manchas escuras no rosto: descubra as causas, tipos e tratamento para o melasma

O dermatologista, Dr. Antônio Vieira, traz todos os detalhes sobre a doença, que afeta principalmente mulheres em idade fértil.

Postado em 22/02/2021 às 08:53 |

O Dr. Antônio Vieira atende na Clínica Vieira, que fica na rua Manoel Ribas, 1740, Centro.

|Conteúdo de responsabilidade do colunista|

O que é Melasma?

Melasma é o surgimento de manchas escuras na pele, que normalmente aparecem no rosto, mas podem ocorrer em outras áreas expostas ao sol, como braços e colo. É um dos problemas de pele mais comum entre as mulheres em idade fértil, dos 18 aos 50 anos, e, quando surgem na gravidez, as manchas são chamadas de cloasma gravídico.

Ainda há três tipos comuns de padrão facial de melasma: malar (maçãs do rosto), centrofacial (testa, bochechas, acima do lábio, nariz e queixo) e mandibular, conforme a região em que aparece.


LEIA TAMBÉM:

Queda de cabelo: conheça as doenças que podem levar à perda dos fios


As principais causas do surgimento do melasma são: a exposição ao sol, pois os raios ultravioleta estimulam a produção de melanina, que é o pigmento natural da pele; mudanças hormonais causadas pela gravidez; uso de pílulas anticoncepcionais ou repositores hormonais; além das endocrinopatias, como doenças na tireoide.

Tratamento de Melasma

Para iniciar o tratamento é necessário cuidar da proteção contra os raios solares, e, para isto, se deve aplicar um bom protetor solar, em quantidade generosa, com fator de proteção (FPS) mínimo de 30 nas regiões expostas do corpo. É importante que a paciente dê preferência para os que oferecem proteção contra os raios ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB).

Para ajudar na remoção das manchas podem ser utilizados cremes clareadores a base de hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinóico, arbutin, cisteamine, ácido azelaico, entre outras substâncias. Os resultados demoram cerca de dois meses para aparecer. O método não funciona em todos os pacientes e, mesmo que os resultados apareçam mais rapidamente, é necessário tempo para estabilizar a condição e impedir que a mínima exposição ao sol traga os sintomas de volta. O tratamento será constante e contínuo.

Ainda é possível que a paciente e o médico dermatologista optem por tratar a doença com o uso do peeling, que pode clarear a pele de forma gradual e, muitas vezes, mais rapidamente que os cremes. Contudo, é bom se atentar para a profundidade do procedimento. Também existe a possibilidade de usar laser, que quando é usado de forma correta e com a tecnologia certa, traz resultados excelentes.

(Foto: Reprodução/Clínica Keaclinic)

Melasma tem cura?

Após iniciar o tratamento o paciente já sentirá uma melhoras nas manchas, porém é necessário manter o acompanhamento com o médico dermatologista. Mesmo assim, como ainda não há cura para essa doença, as manchas podem voltar à pele depois de algum tempo.

O mais importante no caso do melasma é evitar a exposição solar e sempre usar bons protetores solares com o mínimo de FPS 30, sempre em quantidade generosa e lembrando de reaplicar ao longo do dia.

Também pode ser necessário rever o uso de hormônios como repositores ou para controle de natalidade. É importante seguir as recomendações médicas caso a caso, no mais, a doença não traz grandes complicações para a vida do paciente.


Conheça o especialista

O Dr. Antônio Carlos Vieira Junior é médico dermatologista (CRM/PR 18.295, RQE 25.501), formado pela Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e especialista em dermatologia há 11 anos.

Acompanhe o especialista pelo Instagram: @drantoniovieira ou @clinicavieirapvai

Serviço

A Clínica Vieira fica na rua Manoel Ribas, 1740, Centro, em frente à Praça dos Pioneiros e próximo ao Sesc Paranavaí.

WhatsApp: (44) 99181-1133

Fonte:

Receba as notícias de Paranavaí no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Mais Lidas