Portal da Cidade Paranavaí

Ginecologia

Conheça a doença ginecológica que causa dores durante as relações

A ginecologista e obstetra, Nara Chiamulera, afirma que as causas do vaginismo podem ser relacionadas tanto a traumas físicos, quanto psicológicos.

Postado em 10/09/2019 às 08:10 |

O vaginismo é a ocorrência de dor durante a relação sexual, causada pela contração involuntária dos músculos que rodeiam o orifício da vagina. Trata-se de uma disfunção sexual tanto física, quanto psicológica.

Existem três tipos de vaginismo: o primário surge a partir da primeira relação sexual da mulher; o secundário surge após a mulher ter um número considerável de relações sexuais; e o terciário, conhecido também como situacional, surge apenas com parceiros específicos ou em posições específicas.

(Foto: Reprodução/Site Baby Center)

As causas desta doença podem ser relacionadas a traumas físicos, que podem ser experiências sexuais vividas pela mulher anteriormente ou durante o parto, ou psicológicos, que remetem à experiências ruins que causam medo, estresse e/ou nervosismo, resultando em contrações nos músculos do assoalho pélvico, podendo causar dores intensas, prejudicando o prazer no momento da relação.

Além dos traumas, também podemos classificar outras causas como: educação religiosa desequilibrada; medo da dor em relação ao contato íntimo; medo de engravidar, principalmente por orientação familiar rigorosa; doenças como a endometriose, tumores pélvicos ou infecção urinária; causas anatômicas como hímen rígido, septo vaginal, carúnculas vaginais e hemorroidas; menopausa, devido ressecamento e atrofia vaginal; ou ainda falta de conhecimento do próprio corpo.

(Foto: Reprodução/Site Guia Médico Brasil)

Ansiedade, estresse e nervosismo são alguns sintomas que podem levar a contrações involuntárias dos músculos ao redor da vagina, causando desconforto em relação ao contato íntimo e dores durante a relação sexual.

O tratamento do vaginismo deve ser multiprofissional, contando com o auxílio de fisioterapeuta, ginecologista e psicólogo. Pode ser feito da seguinte maneira:

  • Acompanhamento com fisioterapeuta, com exercícios que fortaleçam e relaxem todo o assoalho pélvico;
  • Medicamentos que atuem no combate à dor muscular, como analgésicos, cremes vaginais com lubrificantes, hidratantes e hormônios, e por meio de aplicações de botox para promover o relaxamento da musculatura;
  • Aplicação do laser de CO2 fracionado vaginal, para fortalecimento da musculatura e melhora da lubrificação e elasticidade;
  • Acompanhamento psicológico, para melhorar a autoestima e orientar a mulher para o conhecimento do corpo.

(Foto: Reprodução/Site Clínica Urosul)

Caso você apresente alguns destes sintomas, marcar uma consulta com sua ginecologista é a primeira atitude a ser tomada. Só assim será possível investigar se existe alguma doença que esteja provocando estas dores. Depois, o tratamento correto será estabelecido.


Sobre a especialista

A ginecologista e obstetra, Nara Chiamulera (CRM/PR 31.042, RQE 20313), é formada em medicina pelo Centro Universitário Ingá (Uningá). Trabalha com pré-natal, parto humanizado e puerpério, anticoncepção, inserção de DIU/Mirena, implantes hormonais, cirurgia cosmética ginecológica e saúde sexual.

Acompanhe a especialista pelas redes sociais: Facebook e Instagram.

Serviço

Nara atende na Clínica Humaniter, localizada na Rua Amapá, 1800, em Paranavaí.

Telefone: (44) 3423-5969

WhatsApp: (44) 99828-0664


Conteúdo de responsabilidade da colunista.

Fonte:

Deixe seu comentário