Portal da Cidade Paranavaí

Opinião

A polêmica discussão sobre a chupeta: a criança deve ou não usar?

Conhecer os malefícios e vantagens da chupeta é fundamental. Ter mente aberta e tirar dúvidas com profissionais são as melhores orientações.

Postado em 21/05/2019 às 08:10 |

(Conteúdo Patrocinado)

Não é de hoje que a famosa chupeta causa discussão. Alguns defendem que nada justifica o uso. Outros apontam que há benefícios na utilização do acessório. De qualquer forma, além dos prós e contras, para a maioria dos pais, fica a dúvida de como substituir a chupeta nos momentos necessários.

É comum a maioria das famílias ter o hábito de dar a chupeta ao bebê com a finalidade de acalmar a criança. Seja no momento de dormir, em ocasiões de dores ou que geram estresse nos pequenos, como na realização de algum exame ou na aplicação de uma injeção.

Existe algum benefício no uso da chupeta?

O movimento de sucção proveniente do uso da chupeta libera neurotransmissores que causam a sensação de bem-estar. Essa sucção pode ser indicada em casos especiais, por exemplo, para crianças portadoras de doenças neurológicas ou para antecipar o início da alimentação oral em bebês prematuros.

Embora o assunto seja bastante controverso, existem estudos que associam o uso do acessório a um risco reduzido de morte súbita. Uma hipótese seria de que a chupeta pode evitar que a língua “caia para trás” durante o sono, o que poderia causar asfixia e levar o bebê a morte.


Por que uma criança não deve usar a chupeta?

São raras as crianças que nunca fizeram o uso em algum momento da infância. Isso se deve a visão de algo “terapêutico” que é passado de geração em geração. Saiba sete motivos para não dar chupeta a um bebê:

1) Pode prejudicar a amamentação

O uso da chupeta está associado a menor duração do aleitamento materno. Isto ocorre porque a língua do bebê é posicionada de uma maneira que não consiga a ordenha do seio da mãe na amamentação, se for comparada com a chupeta. Desta forma ocasiona a confusão de bicos e dificulta a alimentação. No entanto, cada caso deve ser avaliado conforme sua necessidade por uma equipe multidisciplinar.

2) Maior propensão a infecções de ouvido

A chupeta proporciona uma migração de micro-organismos para o ouvido, decorrente da falta de estímulo do músculo tensor do palato membranoso (um dos principais responsável pela abertura da tuba auditiva e importante na prevenção das otites médias).

3) Infecções recorrentes

A chupeta cai no chão inúmeras vezes e nem sempre é higienizada corretamente, o que oferece riscos ao bebê. Podendo afetar o sistema imunológico.

4) Pode prejudicar os dentes da criança

A chupeta pode provocar alterações anatômico-funcionais, as mais frequentes são mordida aberta anterior e mordida cruzada posterior, aumentando também o risco de cáries e tratamentos mais severos no crescimento das crianças para corrigi-las.

5) Pode prejudicar a formação do esqueleto

O uso excessivo da chupeta pode ocasionar problemas na fala e dentição, especialmente se o uso se estender além dos três anos de idade. Como o acessório costuma ficar muito tempo na boca da criança, pode causar mudanças estruturais, além da dificuldade de pronunciar algumas palavras.

6) Pode estimular hábitos negativos

Há evidências de que o uso prolongado da chupeta possa “ser substituído” ao longo do tempo de vida por hábitos negativos, tais como comer excessivamente ou outros transtornos compulsivos.

7) Pode ocasionar riscos a vida da criança

Existe a possibilidade de asfixia e estrangulamento causado por partes do acessório que, ocasionalmente, se desprendam dela. Além do risco de machucados na boca e na região nasal, caso a criança caia com ela na boca.


Como deixar a chupeta?

Ainda é praticamente impossível estimar uma “idade ideal” para a retirada da chupeta. Mas, de forma geral, por volta de dois ou três anos de idade, a grande maioria de crianças começam a desapegar do acessório. É indicado que os cuidadores recorram a outros objetos da preferência da criança, como chocalhos e mordedores, ou ainda outros atrativos, para que ela faça uma “troca”.

Além disso, manter o aleitamento materno é de extrema importância, pois o bebê tem a necessidade fisiológica de sucção. A amamentação oferece isso, ajudando a excluir o uso da chupeta.

Entre tanta polêmica, ter consciência sobre os malefícios da chupeta é fundamental. Assim como entender quais são as vantagens do acessório também. Ter mente aberta a novas alternativas e tirar dúvidas com profissionais de sua confiança são as melhores orientações.


Sobre a Especialista

A dentista Carolina do Amaral Vargas é formada pela Universidade de Passo Fundo - RS, pós-graduanda em odontopediatria e especialista em Harmonização Orofacial pela Uningá.

Serviço

Ela realiza atendimentos em odontopediatria na Clínica Fujii, localizada na Rua Pernambuco, n° 1030 (sala 5). Telefones: (44) 99177-8990 e (44) 3045-1201.

Acompanhe a especialista pelas redes sociais: Facebook e Instagram.


Este texto é de total responsabilidade da colunista. As opiniões expressas nele não representam as posições do Portal da Cidade Paranavaí.

Fonte:

Deixe seu comentário