Portal da Cidade Paranavaí

Se apresentou

Jovem de 21 anos confessa homicídio no Jardim Morumbi, diz Polícia Civil

Segundo o delegado Luiz Carlos Manica, o rapaz, de 21 anos, também é morador do jardim Morumbi. Ele não quis dar detalhes sobre o crime

Postado em 12/03/2020 às 08:40 |

Fellipe Cabral foi morto a facadas nesta quarta-feira (11). (Foto: Reprodução/ Facebook)

O principal suspeito de ter matado o jovem Fellipe Cabral da Silva, de 20 anos, nesta quarta-feira (11), no Jardim Morumbi, confessou o crime na manhã de hoje (12), na presença de sua advogada e da Polícia Civil.

Segundo o delegado Luiz Carlos Manica, assim como a vítima, o rapaz, de 21 anos, também é morador do jardim Morumbi, e não tinha nenhuma passagem anterior pela polícia.

Durante interrogatório, o jovem alegou estar arrependido e abalado emocionalmente e não quis dar detalhes do crime. "Ele disse que vai contar detalhes somente em juízo, pois não tem condições psicológicas para relatar os fatos. Não quis revelar detalhes porque estava abalado emocionalmente e foi orientado por sua advogada.", explicou o delegado.

Segundo o delegado, apesar do autor não ter confirmado a motivação do crime, a Polícia Civil acredita que possa ser um crime passional, porém, a hipótese deve ser aprofundada e confirmada com a investigação.

"O foco da polícia é, o mais rápido possível, terminar a investigação e dar uma satisfação para a família. Nós dependemos de laudo técnico de perícia, da perícia na faca e na moto, para na sequência terminar a investigação e encaminhar ao fórum, com o pedido de prisão do autor", explicou Manica.

Apesar de ter confessado o crime, o jovem não ficou preso. "Ele não foi preso hoje, pois a lei determina que quando o autor se apresenta à autoridade policial, por impedimento legal, ele não pode ficar preso. Nós não temos como mantê-lo preso, pois a lei do Brasil determina. O que temos que fazer é terminar essa investigação o mais rápido possível e pedir a prisão dele, que deve sair em questão de dias. Nós vamos cumprir para que ele permaneça preso na cadeia pública de Paranavaí e responda pelo grave crime que cometeu", esclareceu o delegado. 

Fonte:

Receba as notícias de Paranavaí no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário