Portal da Cidade Paranavaí

Estiagem no Paraná

Crise hídrica faz aumentar perfurações de poços artesianos em Paranavaí

Segundo levantamento do Crea-PR, a maioria dos poços foi aberta na zona rural. Outra região que o aumento é constatado é Campo Mourão.

Publicado em 01/10/2020 às 07:46

A alta demanda foi constatada em levantamento de dados do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR). (Foto: Rony Pascualotto/IAT)

Com crescimento regional de 8%, Campo Mourão deu um salto grande na área de Geologia e Minas neste ano, cujo o principal serviço refere-se à perfuração de poços artesianos. A alta demanda foi constatada em levantamento de dados do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR). Aumento de janeiro a agosto atingiu 97%, no comparativo com o mesmo período de 2019, sendo um dos maiores índices, por setor, entre as microrregiões do Noroeste. Foram 140 registros de ARTs neste ano, ante 71 de 2019.

Em Paranavaí o crescimento de ARTs emitidas neste setor também foi expressivo no período, atingiu 53% (270 registros, enquanto no ano passado foram 176 registros). Em conversa com agricultores das duas microrregiões, inspetores e conselheiros do Crea-PR confirmaram a procura maior por serviços de perfuração de poços artesianos e o motivo apontado foi a crise hídrica que o Paraná vem enfrentando há alguns meses.

O inspetor chefe na Inspetoria de Paranavaí, engenheiro Marcos Antonio Pintor Junior, fez pesquisas em campo para entender a demanda maior pelas perfurações de poços artesianos. “Pelo que eu visualizei e entendi, nas palavras dos agricultores, a demanda se deve por dois fatores: a estiagem e o baixo custo benefício do poço, que interferem significativamente na colheita e nos valores da produção agrícola”, destaca. Ele ainda explica que os produtores rurais falaram sobre os impactos da estiagem na zona rural e afirmaram que com o uso do poço artesiano, a água pode ser mais bem utilizada no sentido de tempo, em decorrência do plantio.

Para o conselheiro do Crea-PR em Campo Mourão, engenheiro Sebastião Carlos Mauro, a demanda maior por serviços de Geologia e Minas na cidade também pode ter sido motivada pela estiagem. “Estive vendo os endereços e locais de perfuração dos poços e a maioria ocorreu na zona rural”, diz. Ele também é diretor regional do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (Senge).

Sobre o Crea PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais da empresa das áreas da engenharia, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.

Fonte:

Receba as notícias de Paranavaí no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias